Propostas do RMP
Propostas do RMP

Economia e sociedade

Defendemos o liberalismo econômico responsável. Queremos redução de impostos e das taxas de juros, como forma de criar um ambiente favorável aos negócios e aos investimentos. Porém, esse liberalismo não estará acompanhado do seu efeito colateral, a submissão ao grande capital, ou privataria. O Rio de Janeiro será soberano de suas riquezas naturais, e delas não abrirá mão. A Petro-Rio será a única dona e exploradora do petróleo da plataforma continental. O mesmo se dará às reservas de minérios contidos no subsolo fluminense.

Deixaremos os serviços públicos do nosso país com uma qualidade digna. Haverá investimento responsável e com qualidade em saúde e educação. Os hospitais e escolas públicas terão gestão profissional e transparente. Escolas e hospitais serão inspecionados, sendo exigido sempre a excelência dos mesmos. Médicos e professores terão seu trabalho inspecionado, e os que não executarem as suas tarefas satisfatoriamente ou faltarem ao trabalho sofrerão punição imediata, e o mesmo valerá para todos os servidores públicos.

No Rio independente não haverá o assistencialismo eleitoreiro que tem sido promovido pelo estado brasileiro, que causou a quebra do mesmo. De todas as bolsas que concede o estado brasileiro, a única que será concedida é a bolsa-escola. No lugar de conceder bolsa-família, entregaremos sestas-básicas a famílias comprovadamente em estado de pobreza e insuficiência alimentar. Defendemos a ideia de que a melhor bolsa-família que existe, se chama “crescimento econômico”. Com a economia crescendo, haverá mais empregos e melhores salários, e por conseguinte, toda a sociedade se beneficiará do forte crescimento econômico que inexoravelmente ocorrerá no Rio de Janeiro após a independência.

Buscaremos levar desenvolvimento ao interior. Investiremos em infra-estrutura nos municípios do interior do Estado. Realizaremos melhorias nas estradas, linhas férreas, utilização de trens de alta velocidade ligando os municípios, e construção de universidades.

 

Polícia e sistema penal

Investiremos pesado em segurança pública e reformaremos a polícia e o sistema penal do Rio de Janeiro. Unificaremos as polícias, e transformaremos o Rio de Janeiro num verdadeiro Big Brother, espalhando câmeras em todo o país. Onde não for possível instalar câmera, colocaremos drones com câmeras.  Aumentaremos enormemente o efetivo policial nas ruas, e teremos outros tantos na inteligência, que ficarão monitorando as câmeras espalhadas por todo o estado do Rio, e contactarão à viatura mais próxima em caso de detecção de algum crime. E ainda haverá uma outra polícia para investigar a conduta dos próprios policiais.

Quanto ao código penal e o código processual civil, serão radicalmente alterados. Acreditamos que a finalidade do sistema penal são 5, a saber:  1-castigar, punir; 2-ser reforço negativo para coibir crimes; 3-tirar bandidos de circulação, garantindo que não farão mais mal a ninguém; 4-dar satisfação à família das vítimas; 5-dar satisfação à sociedade. Seguindo esses princípios, a maioria dos crimes serão punidos com a prisão perpétua ou pena de morte. O conceito de maioridade e menoridade dependerá do crime em questão. Em crimes leves como furto, poderá manter-se a maioridade de 18 anos. Porém em crimes contra a vida, como homicídio ou latrocínio, não haverá menoridade. Daremos celeridade aos casos de violência doméstica, com prisão preventiva do agressor, e rápido julgamento.

 

Combate à corrupção

Será uma das prioridades do Estado que queremos criar. Criaremos órgãos de controle eficientes e bem investidos. Puniremos os corruptos com prisão perpétua. Haverá  transparência na gestão pública, e inclusive disponibilizaremos, na internet, os processos de licitação. Realizaremos constantes devassas fiscais nas contas dos gestores públicos.

 

Quem terá cidadania fluminense?

Serão cidadãos fluminenses todos os fluminenses residentes no Estado do Rio de Janeiro. E propomos que os fluminenses residentes no Brasil, e os brasileiros residentes no Rio de Janeiro, optem pela nacionalidade fluminense ou brasileira.

 

Transportes

Propomos investir pesado em transportes, construindo uma malha metroviária na capital e região metropolitana, e os ônibus seriam complementares ao sistema de metrô, associados a este pelo sistema de transportes integrados. Os trens da Supervia se fundiriam com o metrô, tornando-se metrô de superfície. Esperamos com isso diminuir a circulação de carros e melhorar o trânsito.

Também propomos construir trens-bala integrando a capital com outros grandes centros, como São Paulo, Belo Horizonte e Vitória, e também entre os próprios municípios do Estado do Rio.

Os condutores de veículos serão tratados com respeito. Não haverá mais indústria da multa pois não haverá mais multa de trânsito. Fluminenses com multa no Detran terão suas multas automaticamente canceladas após a independência. Também deixarão de existir os pedágios. No entanto, condutores flagrados embriagados, e que comprovadamente dirigem de maneira a ameaçar a segurança de outros condutores e a sua própria, terão a licença para conduzir cassada.

Nas ruas e estradas colocaremos mais sinalizações, e construiremos mais viadutos e passarelas para melhorar o trânsito e aumentar a segurança de condutores e pedestres.

 

Greves

No estado fluminense, as disputas entre patrões e empregados serão negociados com representantes do governo, como se fosse uma disputa judicial ante um juiz, sempre de maneira justa. Dessa forma, pretendemos que não haja mais greve, beneficiando o povo fluminense, o principal punido com as greves. Em caso de haver greves, os sindicalistas e trabalhadores envolvidos serão punidos.

 

 

 dois caminhos

 

topo